Assunto sério: vacinação em massa: prós e contras do Tamiflu

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Assunto sério: vacinação em massa: prós e contras do Tamiflu

Mensagem por Convidad em Seg Mar 01, 2010 6:44 am

Bem,deixando um pouco de lado o assunto "carros", conversei com Eder no msn e ele disse que eu poderia expor essa questão no fórum.Então vamos lá, vocês devem estar sabendo que haverá uma vacinação em massa no país apartir de 8 de março como prevenção da gripe influenza A, ou H1N1, que tanto aterrorizou-nos ano passado, chegando a ser considerada pandemia.(do grego παν [pan = tudo/ todo(s)] + δήμος [demos = povo]) é uma epidemia de doença infecciosa que se espalha entre a população localizada em uma grande região geográfica como, por exemplo, um continente, ou mesmo o planeta.).

Natural, se não estivesse uma onda de notícias circulando na net sobre o medicamento tamiflu, dentre elas, a acusação de que o mesmo já teria levado jovens ao suicídio. Como nos artigos abaixo.


http://search.japantimes.co.jp/cgi-bin/fs20070320a3.html

http://inverta.org:8080/jornal/edicao-impressa/439/economia/tamiflu-pode-causar-danos-neurologicos-e-cancer

http://ovigia.wordpress.com/2009/08/01/a-vacina-para-a-ah1n1-tamiflu-pode-levar-jovens-ao-suicidio/


Isso chamou minha atenção e fui pesquisar um pouco mais e eis o que encontrei:

Tamiflu, o que é? A imprensa não explica

Por Paulo Rebêlo em 4/8/2009
Reproduzido do blog do Knight Center for Journalism in the Americas, 4/8/2009; título original "Tamiflu vira manchete diária, mas imprensa pouco ou nada explica na América Latina"

Quanto mais casos de morte por gripe suína são reportados na América Latina, maior é o tom alarmista da imprensa e menor é o real conhecimento da população sobre variáveis presentes na cobertura. Da noite para o dia, o nome do remédio "tamiflu" ganhou as principais manchetes, diariamente, de jornais, revistas e televisão. Mas na maioria dos países latinos, pouco ou nada se ouviu falar sobre o medicamento até agora.

Excetuando-se reportagens isoladas e específicas sobre saúde, publicadas no passado e sem vínculo algum com a gripe suína, o Tamiflu é uma grande novidade para a maioria da população que desconhece esse remédio tão popular nos Estados Unidos. Por que? Ninguém sabe explicar ao certo e, até agora, a imprensa tem falhado em ir além do noticiário factual.

Críticas sobre potenciais efeitos adversos do Tamiflu também estão fora das manchetes, mesmo quando há precedentes até hoje pouco explicados, como mostra uma reportagem do Japan Times publicada no dia 20 de março de 2007. O Japão é o país que mais compra Tamiflu e há dezenas de casos de suposto suicídio por pacientes que usavam Tamiflu.

Estudos sobre efeitos colaterais do Tamiflu em crianças e efeitos nocivos à pele também não fazem parte da cobertura.

Santo Graal

No Brasil, após forte pressão dos médicos, o governo resolveu liberar de vez a prescrição de Tamiflu para pacientes que não estejam enquadrados no chamado "grupo de risco avançado". Há poucas semanas, somente a rede pública de saúde podia receitar o Tamiflu. E até cinco dias atrás, os médicos da rede particular podiam receitar somente em casos avançados da doença. Agora, qualquer médico pode receitar Tamiflu de acordo com seus próprios critérios.

O uso de drogas contra gripe é uma novidade para a maioria dos países latinos, os quais conhecem e usam apenas formas de vacina contra gripe e, mesmo assim, somente implementada em larga escala há poucos anos.

A falta de profundidade na cobertura da gripe suína não é exclusividade da América Latina. Há menos de duas semanas, o colunista do Los Angeles Times, James Rainey, criticou a superficialidade da imprensa americana, enquanto no Brasil diversas críticas tratam da irresponsabilidade dos jornais nas manchetes e notícias sobre a epidemia.

Muito pouco se fala ou se explica sobre o Tamiflu, uma espécie de santo graal da medicina atualmente em prática na América Latina contra a gripe.

(fonte: observatório da imprensa).

Como podem ver, há mesmo um certo receio sobre informar os componentes dele e seus efeitos colaterais...por que? essa reportagem é de agosto do ano passado, quando ainda enfrentávamos a "gripe suína" , mas...o que mudou desde então? por que agora essa mobilização de vacinação em massa? teriam esses efeitos colaterais, sido eliminados? teria a fórmula mudado? o que há de mito e verdade sobre Tamiflu? continuando o assunto, tenho uma resposta, digamos assim, de médicos sobre os componentes da tamiflu:


Especialistas desmentem mitos sobre nova gripe disseminados na internet

E-mails chamam vacina de 'assassina' e passam remédios caseiros.
Entidades e pessoas citadas nas mensagens desmentem afirmações.

A mensagem começa com um erro básico logo nas primeiras linhas, ao confundir a vacina com o Tamiflu. “Principalmente, sobre NÃO tomar essa vacina assassina que estão querendo que seja compulsória acho que é Tamiflu” [sic].

O Tamiflu não é a vacina. É o remédio antiviral usado para o tratamento da doença. A confusão entre o medicamento e a vacina se repete outras vezes ao longo da mensagem.

Segundo o e-mail, a vacina seria fatal por conter duas substâncias que chama de “altamente tóxicas”, mas que são, na verdade, não apenas seguras, mas utilizadas em outras vacinas: o mercúrio e o óleo de esqualeno.


O mercúrio usado na nova vacina não é o mesmo mercúrio tóxico, que existe na natureza. Ele é na verdade, o “etilmercúrio”, um composto completamente diferente do venenoso “metilmercúrio”, explica Edimilson Migowski. “O etilmercúrio é um conservante que mantém a vacina própria para uso depois que o frasco foi aberto”, afirma o médico.


O infectologista Renato Grinbaum, do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual, de São Paulo, também ressalta a segurança do conservante. “É um mercúrio diferente, perfeitamente seguro”, afirma.

O etilmercúrio é usado em outras vacinas, que constam do calendário brasileiro, conta Migowski. “Toda vacina que vem em frascos de múltiplas doses tem esse conservante”, explica o médico. Exemplos? A vacina contra hepatite B, a dupla bacteriana, a tríplice contra difteria, tétano e coqueluche e a vacina contra gripe comum.

O “óleo de esqualeno”, por sua vez, é uma substância natural produzida por plantas, animais e até seres humanos. Todas as pessoas já têm esqualeno em seu organismo: ele é produzido pelo fígado e se espalha pelo sistema circulatório.


Segundo a Organização Mundial de Saúde, a substância é utilizada como aditivo nas vacinas contra os vírus influenza – ela aumenta a resposta imune do organismo. “O esqualeno é adicionado para melhorar a eficácia de diversas vacinas experimentais, como a da gripe pandêmica e a da malária, que estão me desenvolvimento”, afirma a entidade.


Desde 1997, a OMS já administrou mais de 22 milhões de doses de vacinas contra gripe contendo esqualeno. “Nenhum efeito colateral severo foi encontrado”, afirma a organização.

(fonte:http://g1.globo.com/Sites/Especiais/Noticias/0,,MUL1271872-16726,00-ESPECIALISTAS+DESMENTEM+MITOS+SOBRE+NOVA+GRIPE+DISSEMINADOS+NA+INTERNET.html)


Porém, a pergunta não quer calar: teria sido essa, uma jogada de marketing? no link abaixo, está o artigo que fala sobre o interesse financeiro de comercialização do tamiflu...até onde isso é verdade, cabe a vocês lerem e interpretarem...

http://revelatti.blogspot.com/2009/04/tamiflu-mais-um-golpe-milionario-de.html


Mas, como pode ver, os artigos antigos mostram que a Roche saiu lucrando com a gripe...

Saúde estuda liberar Tamiflu para farmácia
Estado de São Paulo – São Paulo /SP
Antes da gripe suína, remédio era vendido sob prescrição médica; expectativa é de que
medicamento volte a ser comercializado em 2010
O governo começa a se preparar para o retorno da venda nas farmácias do Tamiflu,
antiviral usado no tratamento da gripe suína. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária
(Anvisa) recebeu a incumbência de rever a política de controle do medicamento para
torná-la mais rígida do que é atualmente.
Antes da gripe suína, o medicamento era vendido nas farmácias sob prescrição médica.
A ideia é começar a exigir a retenção da receita, assim como ocorre, por exemplo, com
alguns medicamentos antidepressivos. A previsão é de que a nova classificação seja
colocada em análise na próxima reunião da diretoria da Anvisa. “Há uma expectativa de
que, no próximo ano, o remédio volte a ser comercializado”, afirma o diretor da Anvisa,
O maior rigor para a venda do medicamento seria uma carta na manga para evitar que,
caso tal panorama se concretize, o uso do produto seja feito de forma indiscriminada.
Quando os primeiros casos de gripe suína surgiram, a empresa fabricante, a Roche,
recolheu o medicamento do varejo. Não houve proibição formal do Ministério da Saúde
para a comercialização nas farmácias, mas um pedido foi feito à fabricante. A Roche, por
sua vez, informava que a prioridade era atender a demanda do governo.
Para a próxima onda da gripe, esperada para 2010, a estimativa é a de que haja uma
produção maior do antiviral -- e, consequentemente, mais oferta do produto, o que daria
folga para a venda no varejo. Embora não haja nada formalmente acertado, especialistas
dizem que dificilmente a fabricante colocaria o remédio nos postos de venda sem o aval
O Ministério da Saúde afirmou que não há nada acertado para o retorno do Tamiflu às
farmácias, só estudo.
Segundo Barbano, entre as incumbências que a Anvisa recebeu para gripe suína, estava
justamente o estudo sobre regras mais rígidas para a venda do remédio. Outros dois
pontos foram a rapidez para a análise da licença da vacina contra gripe suína e o reforço
no controle das fronteiras. “Esse último item já perdeu sentido, diante da grande
circulação do vírus da gripe.” A análise da classificação da receita foi feita mais
recentemente, já pensando no cenário de 2010.


minha opinião finalizando o assunto...

O H1N1 é um virus agressivo e que se desenvolve rapidamente, porém, o mesmo é completamente evitável o contágio, desde que vc possua higiene. Isso mesmo, a maior forma de evitar o temido virus, é lavando as mãos, passando álcool 70 nos objetos, principalmente maçanetas. Evitar locais aglomerados e fechados no inverno.Mais informações, acessem o site:


http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/visualizar_texto.cfm?idtxt=31267

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=1616


Vamos ver que vacina é essa, se algo acontecer saberemos em breve, já que a Grã Bretanha já começou a sua vacinação em massa. Resta saber se, os "incidentes" provocados por ela, serão divulgados nos meios de comunicação, ou abafados pra não prejudicar um grande investimento...teoria de conspiração? hehe, imagina! espero que tenham gostado e opinem!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Assunto sério: vacinação em massa: prós e contras do Tamiflu

Mensagem por Skyline7 em Seg Mar 01, 2010 12:13 pm

eita, agora to receoso com esse tamiflu =X
avatar
Skyline7
Motorista

Mensagens : 149
Data de inscrição : 23/02/2010
Idade : 25
Carro Preferido : Skyline R32
Localização : Rio de Janeiro - RJ

Ver perfil do usuário http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=3129883639424861349

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Assunto sério: vacinação em massa: prós e contras do Tamiflu

Mensagem por Deph em Seg Mar 01, 2010 1:53 pm

È uma conspiração comercial. Isso é mais normal do que se imagina , eu tenho uma teoria que os carro 1.0 são outra que só roda aqui no br , e tenho provas factuias que provedores de internet não '' proveem nada alem de custos para nós ''

_____________________________
Sevel (ACT) 1.6 Mpi
Uno 1.6r Mpi 93
14 Mkgf 3.500
96 cv a 5750 rpm
avatar
Deph
Piloto

Mensagens : 443
Data de inscrição : 23/02/2010
Idade : 33
Carro Preferido : 1.6R MPI 1993 branco / alfa giulia sprint 2000
Anime Preferido : Initial D
Localização : teodoro sampaio SP
Humor : hell yeah!!

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Assunto sério: vacinação em massa: prós e contras do Tamiflu

Mensagem por Convidad em Sex Mar 05, 2010 1:52 am

Respondendo a dúvida do tópico, consegui informações confiáveis de que a vacina não será Tamiflu, pois o mesmo é um farmaco (remédio) e a vacina é o virus enfraquecido que estimulará seus anticorpos a reconhecerem e combaterem o virus da gripe. O País está se mobilizando para deter uma possível onda de Influenza A como aconteceu no ano passado e a vacinação em massa, é só o começo. Segue a tabela do portal da Saúde.

INVESTIMENTO – As 83 milhões de doses de vacina pandêmica que o Brasil adquiriu representam um investimento de R$ 1,006 bilhão. Os imunizantes serão fornecidos pelos laboratórios produtores Instituto Butantan (33 milhões de doses) e Glaxo Smith Kline (40 milhões), além do Fundo Rotatório de Vacinas da Organização Pan Americana de Saúde/OPAS (10 milhões).

OUTRAS AÇÕES DE PREPARAÇÃO – Para a segunda onda pandêmica, o Ministério da Saúde também reforçará as ações de diagnóstico, tratamento e assistência aos pacientes. O número de laboratórios para diagnóstico do vírus pandêmico passou de 7 para 14. Em 2009, estavam credenciadas as três unidades de referência (Instituto Adolfo Lutz/SP, Instituto Evandro Chagas/PA e Fundação Oswaldo Cruz/RJ) e os Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACEN) de Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Para 2010, estão em fase de estruturação os LACEN dos estados do Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás e Pernambuco.

TRATAMENTO – O estoque nacional de antivirais para o tratamento da gripe pandêmica é de 21,9 milhões de tratamentos. Esse estoque inclui 6,2 milhões de tratamentos em estado bruto, armazenados em tonéis que restaram do estoque estratégico adquirido em 2006 para preparação para uma eventual pandemia de gripe aviária. Também compõem esse estoque de 21,9 milhões outros 11,5 milhões de tratamentos prontos para consumo e outros 4 milhões em matéria-prima estocada em tonéis, comprados para 2010. O Ministério adquiriu também 200 mil tratamentos de zanamivir – medicamento que será usado apenas em eventuais casos de resistência ao oseltamivir.

NOVAS REGRAS PARA OSELTAMIVIR – A partir deste ano, o oseltamivir poderá ser obtido na rede pública de saúde apenas com retenção de receita e a prescrição médica terá validade de cinco dias. O objetivo é evitar automedicação, venda indiscriminada e corrida às farmácias, caso o fabricante tenha produção suficiente para abastecer os estabelecimentos comerciais. A nova determinação está regulamentada pela resolução 70 da diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), publicada no Diário Oficial da União de 23 de dezembro de 2009.

O oseltamivir será distribuído gratuitamente em postos e hospitais definidos pelas Secretarias Estaduais de Saúde e nas 560 unidades do programa Farmácia Popular. O antiviral também estará disponível em alguns pontos da rede conveniada do programa Aqui Tem Farmácia Popular, a preços subsidiados pelo governo federal, conforme disponibilidade do fornecedor.

REDE ASSISTENCIAL – Com o surgimento da nova gripe, foram investidos R$ 525 milhões no fortalecimento da rede pública ao longo de 2009. “Esses recursos vão melhorar não apenas o atendimento aos pacientes durante a segunda onda da pandemia, mas representam um reforço em toda rede assistencial do SUS”, afirma Temporão.

Do total, R$ 270 milhões foram aplicados em equipamentos para fortalecer a rede de leitos de UTI nos estados, com instalação prevista para maio (veja lista abaixo). A quantidade que irá para cada unidade federada está sendo decidida pelo Ministério da Saúde e Secretarias Estaduais de Saúde. Outros R$ 255 milhões foram aplicados no reforço da atenção básica (Programa Saúde da Família) e na assistência ambulatorial e hospitalar especializada.

EQUIPAMENTOS PARA LEITOS DE UTI
• 4.032 monitores multiparâmetros
• 3.725 ventiladores pulmonares
• 8.893 oxímetros (medidores do nível de oxigênio no sangue)
• 750 desfibriladores
• 700 detectores fetais (para auscultar os batimentos cardíacos do feto)
• 100 eletrocardiógrafos
• 59 bombas de infusão

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL – Cerca de 300 mil médicos e 292 mil enfermeiros receberão um guia com orientações sobre as indicações para vacinação e informações sobre a gripe pandêmica. Destinado a médicos e enfermeiros, o material (CD e manual) será distribuído em parceria com o CFM e o COFEN. Além disso, estão sendo firmadas parcerias com Instituições de Ensino Superior participantes do PROSAUDE e PET-SAÚDE para a realização de cursos de atualização, a partir de março.

CAMPANHA PUBLICITÁRIA – Para orientar a população, será lançada uma campanha informativa dividida em três etapas. A primeira tem foco na prevenção e será veiculada de 22 de fevereiro a 21 de maio. “Esta fase é muito importante porque a vacina é apenas uma das formas de prevenir a gripe pandêmica. É fundamental que as pessoas mantenham as medidas de higiene pessoal para evitar a infecção pelo vírus”, orienta o ministro José Gomes Temporão.

A segunda fase, entre 5 e 14 de março, terá mensagens de preparação e esclarecimento da população, principalmente com relação aos grupos prioritários para receber o imunizante. E a terceira fase, convocando as pessoas desses grupos para se vacinarem, será veiculada de 15 de março a 21 de maio.

MEDIDAS DE HIGIENE E ORIENTAÇÕES EM CASO DE SUSPEITA DE GRIPE
• Lavar as mãos com freqüência e sempre que tossir ou espirrar
• Utilizar lenço descartável para higiene nasal
• Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir
• Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca
• Se surgirem sintomas de gripe (principalmente febre, tosse, dor de cabeça e no corpo), procure o médico mais próximo e não tome medicamento por conta própria.


Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Assunto sério: vacinação em massa: prós e contras do Tamiflu

Mensagem por JulioCMO em Sex Mar 05, 2010 8:05 pm

Excluíram as crianças e os adolescentes,viva !! kkkkkkkk

JulioCMO
Piloto

Mensagens : 373
Data de inscrição : 22/02/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Assunto sério: vacinação em massa: prós e contras do Tamiflu

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum